sexta-feira, 21 de julho de 2017

Professional Griefers II (Um texto sangrento para tantos patos e seus tofus de sangue)


Sugestão de música: deadmau5 ft. Gerard Way - Professional Griefers
https://www.youtube.com/watch?v=Hr2Bc5qMhE4 

Luz, câmera e visibilidade para indivíduos invisíveis nas massas esperando pela fama para emoção das multidões. Perverso e mórbido como um cigarro na boca de um modelo sexy, a vitória anunciada por todos e para todos desejarem é um clichê previsível.

“Eu gosto do som das peças destruídas.
Eu gosto das luzes que apontam para onde ela senta. 
Nós temos máquinas, mas as crianças têm Jesus."

Objetos... Subjetividades... Objetificados... Objetivos...

“Deus não pode ouvi-lo, eles lutarão contra você.
Assista-os construir um amigo como você.
Ressaca matutina, X, Y, Z."

Acredito que milhares se matam para ter a beleza de corpos com Photoshop, numa vida zero açúcar com injeções estéticas, proteínas sintéticas, puxar peso, açougue, inserção de derivados do petróleo, costuras no corpo com linhas de última geração provenientes da lã de ovelhas, ser malhado em rede...

"Nós gostamos de dançar, mas a morte vem mais rápido.
Aumente a batida e um explosivo código de barras.
Nós queremos o dinheiro ou os remédios que você procura."

Acredito que milhares se matam para ter milhões na conta em guerras e mercados revolucionários para manter milhares de outros seres humanos conformados numa prisão miserável desejável porque é melhor se comparado com outros ainda mais miseráveis...

“Aumente o controle para o mestre da mixtape.
Autocorreção, dissecação em massa.
Fanboys de Xbox em detenção."

Acredito que milhares se matam para ter a salvação prometida pela Santa Igreja Católica & Cia, legítimas instituições para neuroses, esquizofrenias, paranoias e infernos em vida para todos, incluídos e excluídos, para assim o abuso de psicopatas santificados por uma cartilha literária escrita somente por homens possam submeter os fiéis numa crença sadomasoquista como forma do mais puro amor.

“Autoinfração, destruição em massa.
Programado para a função final.
Rei dos Ratos de Laboratório, equipe de resgate.
Salve-me da próxima linha..."

Diante a tantos cenários estatísticos, é com uma estaca no peito que acredito, de forma estática, no inacreditável.

“Dê-me o som para ver...
Outro mundo lá fora que está cheio de
todas as coisas destruídas que eu fiz."

É impossível gente como eu simplesmente vencer na vida. Porque, se a vitória é esgotar todo o tempo no planeta para escalar com o máximo de sucesso programado nas fases consumíveis de um jogo individual que desmonte o competidor até zerá-lo, desejo a derrota com toda paixão e intensidade de espírito.

“Dê-me apenas uma vida para implorar...
Outro mundo lá fora que está cheio de
todas as coisas terríveis que eu fiz."

Mas com dinheiro, tudo se compra... E quando você chegar aos ideais de perfeição inventados antes do seu nascimento: BOA SORTE.

quinta-feira, 20 de julho de 2017

Vontades despidas e sonhos brancos


Bom para ler ouvindo: Shakira - Pies Descalzos, Sueños Blancos

Eu queria responder que meu motivo para consultar o psicólogo é a ansiedade de se aproximar dos 30 anos. Ele comentava sensibilizado que boa parte das pacientes mulheres atendidas, ultimamente, estão sofrendo por antecipação a crise dos 30. “Elas colocam em si mesmas prazos de validade para atender expectativas externas e, assim, se considerarem felizes e com sucesso. E a desconstrução disso passa por orientações de que a vida é significativa independentemente do estado civil.”

Sabido pelo senso comum, o clichê social é esse mesmo cantado pela colombiana Shakira, 40 anos, que tem dois filhos com o jogador espanhol Gerard Piqué, 30 anos, marido, sim, e sem casamento: “Las mujeres se casan siempre antes de treinta”. Tá, dependendo do desespero da guria, basta o “relacionamento sério” no Facebook com o primeiro que aparecer; arriscar esperanças perdidas com adeptos do poliamor: “vai que ele muda de ideia comigo, amiga”; perder o amor próprio para receber migalhas de afeto. Aí, para que o objetivo estipulado seja realizado no altar, a possibilidade de muitas submissões serem cometidas é alta, ouviremos várias atrocidades “recomendáveis” para ganhar um título de Dona, a esposa.

Minha tia evangélica que o diga. “Mari, que maquiagem de biscate, nenhum homem de família vai querer se envolver contigo!” “Sangue de Jesus tem poder, não é mais virgem!” “A mulher sábia edifica o lar, respeite a autoridade do seu blá blá blá...” Então, com aquela catequização, bate forte uma onda cristã no meu coração. Ih, rimou... Continuando, rs, olho com misericórdia para aquela mulher de fé, lembro de uns dois possíveis noivados caso eu aceitasse as condenações, digo, os pedidos, e o amor guardado a sete chaves por minha tia para seu futuro marido que nunca chegou.

sexta-feira, 14 de julho de 2017

Ele disse

“Para esconder a mim mesmo e à minha riqueza – (...) 
Essa era a mentira da minha compaixão: (...) aprendi a engolir palavras.” 
Friedrich Nietzsche – Assim Falou Zaratustra, p. 183


“A linguagem é expressão do pensamento. Letras são roupas que revestem nossas ideias e são vistas quando vocalizamos ou escrevemos, como faço agora. Não existe exército mais forte que as nossas 26 letras. Quem acredita na imortalidade da alma, seja ela dentro do conhecimento ou da poesia que há em nós, pondera muito nos atos e nas... Palavras. Não se perdem. Mesmo a menor vírgula. O que fazemos ecoa para o sempre. Quem tem esta sensibilidade, sente este saber e o poder que vibra em cada partícula que forma a mensagem. Toda palavra que emitimos tem valor e importância. Aquele que carrega em si as tempestades deve ter a responsabilidade sobre seus raios. Para além de iluminar a escuridão, a luz também queima para o bem ou para o mal. Toda palavra que emitimos é o som do que somos.”

Eu não podendo dizer nada, apenas lia o livro “Autoficção de sete reais”. O silêncio de quem carrega tantas profundezas indizíveis, centenas de camadas de transparências reunidas que torna turva a visão impossível do fundo da superfície das águas que me constituem depois do encontro de dois rios, umas duas vidas passadas antes da civilização ocidental, segundo uma mística graduada numa escola que nunca iniciei, e para o espanto dela e de qualquer um, uma vida durante o Renascimento. Fora as vidas passadas, que devido a capa juvenil e bonita ninguém consegue imaginar mesmo que eu contasse todas as fábulas do mundo, dentro da minha própria vida atual. Por bondade, a luz não se manifesta para não cegar o coração. 





 

terça-feira, 11 de julho de 2017

Florescência




As flores têm apenas uma escolha de ser. Flor. Não ser é não flor. A consciência exalada é o próprio existir. Sol, terra, água e gás carbônico - 4 elementos necessários para florescer o que for, quando flor. Uma simples forma que desperta o olhar da humanidade. Nossa necessidade em acordar para o essencial. O passado e o futuro são apenas nutrientes para nosso presente. Mas, que nem semente, a certeza convicta nos prende a uma fechada realidade. É preciso força interior para brotar o nosso propósito. Insistir, persistir, resistir até conseguir libertar a potência original dentro de si no tempo finito que temos para existir. O gosto está em quebrar as cascas, flor em ser. Entre a ilusão do "assim seria", escolho a janela do "assim seja".


*Flores no deserto mais árido do mundo, o Atacama. O fenômeno 'deserto de florescência' acontece em cada cinco/sete anos. Mas no ano de 2015, surpreendentemente, ocorreu 2 vezes. Registro inédito na história do Chile.

Jogando muitas emoções em mim


Bom para ler ouvindo:


Mulher pede para outra mulher compactuar com um plano.
Plano: excluir uma terceira de viagem de luluzinhas.
Mulher não compactua, MAS expõe no grupo do zap todo o maquiavélico planejamento.
Autora do plano surta em xingamentos e acusações, irmã da autora se solidariza.
Mulher que não compactua vaza do grupo por decisão própria.
Autora do plano xinga no particular:
"Sua traidora! Personalidade ruim!"
Mulher que não compactua, um dia depois, finaliza:
"Seja responsável por suas escolhas, por suas ações e por sua própria felicidade. Não coloque tudo isso somente no ombro de terceiros."
Autora do plano liga imediatamente para irmã e chora.
Irmã solidariza-se novamente e diz no particular para a outra:
"Sua malvada!"
Mulher que não compactua exclui do Face quem lhe traiu o valor da amizade.


Ponto final.